Está triste? Coma grão-de-bico!

Olá meninas.... Espero que tenham tido uma boa semana...

Hoje vamos falar sobre alimentação sem sofrimento animal. Sou vegetariana há quase vinte anos, tenho uma saúde de ferro, não pego nem resfriado, meus cabelos brilham, minha pele não tem espinhas nem nada que o valha e tem viço, não tenho problemas com a balança ainda sendo filha de pais acima do peso e, em todos os meus exames de rotina, se constata que está tudo bem comigo.

Trocando em miúdos, essa é a prova clara que matar e comer animais não nos torna mais fortes.

Ao longo de duas décadas jamais tive um misero problema de saúde e todas as vezes que tive que tomar alguma medicação – ou era por causa do joelho lesionado ainda na adolescência ou por enxaqueca também diagnosticada antes do vegetarianismo.

O mais importante para quem adota qualquer alimentação com restrição é conhecer bem os alimentos, suas propriedades e tentar balanceá-los nos pratos do dia a dia. Faço isso sempre e posso garantir que funciona.

Um dos alimentos vedete da minha cozinha é o grão-de-bico. Excelente fonte de ferro, carboidratos e proteínas graças a uma combinação primorosa de aminoácidos, dentre eles o triptofano, que aparece em grandes quantidades. Essa substância é usada pelo organismo para a produção de um neurotransmissor chamado serotonina, responsável pela ativação dos centros cerebrais que dão sensação de bem-estar, satisfação e confiança.

Boas doses desse composto resultam ainda em diversos efeitos fisiológicos, como maiores taxas de ovulação e melhora no padrão de desenvolvimento das crianças. A disponibilidade de ferro é outro diferencial da leguminosa.

Portanto, se você anda com o humor abalado, estando constantemente desanimada e triste, uma das soluções para afastar de vez essas sensações negativas, está no consumo do grão-de-bico.

Os benefícios do alimento não param por aí. Ele possui, ainda, uma outra vantagem que o diferencia de seus parentes. O ferro presente no grão-de-bico é inúmeras vezes mais bem aproveitado pelo organismo e, suas proteínas, além de terem uma qualidade muito superior às das demais leguminosas, elas são totalmente digeridas, o que não ocorre com as outras.

Os especialistas indicam também o acúmulo de fitoestrógenos ou hormônios vegetais. Sendo assim, o alimento já começa a ser usado em terapias de reposição hormonal em mulheres que se encontram na fase da menopausa.

Essas substâncias também têm se mostrado eficazes no combate a doenças cardiovasculares e a alguns tipos de câncer, bem como ajuda a prevenir a osteoporose.

O principal componente do grão de bico, como no resto dos legumes, são os hidratos de carbono. Seu conteúdo protéico é similar a dos demais legumes, apesar de sua concentração de fibra, lipídios e energia ser superior. É muito rico em ácido fólico, por isso o consumo de uma porção média de grão de bico confere 60 a 70% das necessidades diárias desta vitamina.

O grão de bico é um alimento energético e muito adequado em dietas para adolescentes e pessoas que realizam grandes esforços físicos, além de ser um prato recomendado para diabéticos, mulheres que estão tentando engravidar, crianças e adolescentes.

Para os vegetarianos é essencial no suprimento de vitaminas e proteínas.

Há inúmeras formas de se introduzir o grão-de-bico na alimentação e eu mesma lanço mão de todas elas, mas a minha preferida é associando com outra benção alimentícia que é o gergelim. Como? Os descendentes de árabes já me entenderam... Hommus Tahine!!!

Então, espero que vocês introduzam essa maravilha em suas cozinhas e suas vidas. Sua saúde e todos os animais que não serão levados ao matadouro para lhe alimentar agradecem...

Tenham um bom fim de semana...





video




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sem firulas © Layout criado por: Algodão Doce Design
imagem-logo