Seis meses sem compras...


Olá meninas... Espero que vocês tenham tido uma semana produtiva.

Esta semana vamos falar de sustentabilidade sob o ponto de vista econômico e no âmbito de nossas próprias finanças.

Pesquisando sobre o tema vi uma campanha na net difundindo a meta de ficar determinado tempo sem comprar. Vi grupos se comprometendo a ficar seis meses e outros, um ano sem comprar. Nesses grupos, vi as pessoas contando suas experiências de resistência e, em alguns casos, contando o quanto economizaram por ter assumido tal meta. 

Uma menina americana mostrou a passagem que comprou para o intercâmbio na Austrália só com o que economizou deixando de comprar maquiagem durante um ano inteiro. Dá para acreditar? Normalmente não daríamos importância ao preço de um batom, de um blush! Mas junta mil batons, mil blushes que a coisa realmente muda de figura! E dificilmente nos damos conta disso.

Depois de ver várias experiências resolvi fazer também e já postei no horizonte a minha experiência que começou ontem. Espero terminá-la superando as minhas expectativas.

E apesar de já estar com o post pronto para o Sem Firulas, resolvi deixar o outro tema para a próxima semana e trazer essa proposta também para as leitoras deste blog. Porque não? Todos só temos a ganhar! O planeta só tem a agradecer! 

Afinal, compramos mais do que precisamos, normalmente em momentos de impulso ou em suprimento de alguma carência momentânea que bastaria paciência para se apartar de nós.

Sabe aquela coisa de ir ao supermercado antes do jantar? A gente acaba comprando tudo o que vê pela frente, metade estraga na geladeira e a outra metade se deposita para todo o sempre na linha abdominal e nem se você nadar até a África sai de você?

Pois é. Esse fenômeno também acontece em viagens, quando temos a tendência de comprar como se o mundo fosse acabar amanhã ou como se nunca mais fôssemos arredar pé da nossa sala de estar; quando estamos chateadas com alguma coisa, como se o objeto comprado tivesse o condão de arrancar a insatisfação num passe de mágica; quando estamos felizes, para comemorar, como se   a compra fosse mais importante do que a alegria que nos sustenta e por aí vai...

É um sem número de situações e sentimentos que nos impulsionam a comprar cada vez mais o que, de fato, não precisamos e sem pensar no impacto que isso causa em nossas contas bancárias, em nossa qualidade de vida (já que só vale a pena viver se tivermos um cartão de crédito sem limite), e na montanha de lixo associado que geramos no planeta, que lembro - NÃO TEM COMO SE DESFAZER DA NOSSA PODRIDÃO!!!

Tudo isso ponderado, avaliado, lembrado, pensado, considerado (e outros infinitos (...)ados), decidi...


SERÃO SEIS MESES SEM COMPRAS!!!


Não sei exatamente como farei isso, quais serão o meus critérios detalhadamente e nem o grau de dificuldade que terei para cumprir essa meta. Se eu tiver recaídas, reconhecerei e postarei aqui assim como todas as vitórias de resistência.

Ao final espero ter uma planilha de "não-compras" bem maior do que a de "compras"; uma aplicação bancária mais gorda do que a de hoje; faturas de cartões de crédito bem mais modestas do que os atuais valores que me envergonho de postar aqui e, sobretudo, o orgulho de não ter impactado tanto o planeta com compras desnecessárias, que são nocivas desde os atos da cadeia produtiva, passando pela comercialização e culminando no meu aglomerado de entulho que ocupa lugar desnecessário na minha vida, na minha casa, no meu planeta!

A partir de agora, para driblar a monotonia, mais que nunca meu lema é: 


REDUZA, REUTILIZE, RECICLE.


E sigam-me os bons...



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sem firulas © Layout criado por: Algodão Doce Design
imagem-logo