Meus espelhos...

Olá meninas.... Espero que tenham tido uma boa semana...

Hoje vamos falar da consciência e do respeito aos animais na moda. Pouco vemos isso por parte dos estilistas e, como há mercado para tanto, e o que move o mundo – com razão – é o mercado, a esmagadora maioria deles possuem linhas de roupas de couro de búfalo, bolsas de couro de carneiro, sapatos de pele de jacaré, pastas de couro de cobra, carteiras de couro de avestruz, casacos feitos com a pele dos mais variados animais silvestres, o bom e tradicional couro de vaca, afinal, pra que serve mesmo esse bicho além de dar leite, carne, couro e soltar pum para acabar com a camada de ozônio, não é? E por aí vai. A linha de crueldade é quase infinita e quem é o algoz?

Adivinhem...

QUEM COMPRA!!!!!!!!!

Temos normalmente o impulso de irmos apertando os olhos e fazendo cara de nojo enquanto lemos algo assim. Ao final da leitura nosso dedo já é rijo apontando o torturador. Nossas mãos são mesmo sábias! Quando fazemos o gesto de apontar alguém, um dedo mostra a direção onde está a pessoa (o indicador); um dedo aponta ao aleatório (o polegar); mas três dedos apontam para nós mesmos!

Somos sim, nós os maiores responsáveis pela barbárie que tanto nos horroriza. Quem compra é o mantenedor do sofrimento. Quem vende apenas quer vender – e venderá qualquer coisa que o mercado de consumo queira comprar. A vontade, a moda, o anseio, são ditados por quem consome.

Portanto, quem sente culpa, é bom se mexer, pois culpa faz mal à saúde. Quem não se sente responsável, pare de se horrorizar, pois o “horror” só acontece por ser impulsionado adivinhe por quem? O bom disso é que você realmente não precisa se preocupar com a sua saúde já que a culpa nem passa por sua cabeça.

Sim, meninas eu sei. É duro, é chato, é pedante, é arrogante muitas vezes também. Mas é real e contra fatos não há argumentos.

Eu também falho – muitas vezes. Eu também me reprovo – na maioria delas. Quando eu aponto neste texto ou em qualquer outro as condutas alheias, também tenho três dedos apontados para mim. Consciência também é traduzida dessa forma: quando temos o conhecimento da real dimensão do que pensamos e fazemos e, ainda assim, aceitamos os seus efeitos. É o primeiro passo e, por mais que os ponteiros andem, tenho sempre a sensação que estou no primeiro passo.

Creio que há alguns anos conheci alguém que está alguns passos à frente e sempre que encontro essas pessoas, agarro-me nelas, pois sei que seu exemplo poderá me conduzir por um caminho melhor e me fortalecerá cada vez que eu estiver diante de um atalho menos ético.

Filha do Beatle Paul McCartney e de Linda Eastman. Aos 15 anos, a adolescente Stella McCartney começou a trabalhar com o estilista Christian Lacroix - o ano era 1987, ele abria sua Maison, e lançava sua primeira coleção de alta costura.

Alguma dúvida que o seu primeiro estágio tem grande ligação com sua filiação? Ainda que eu corra o risco de ser injusta, parece-me claro.

Posteriormente, transferiu seu estágio para Savile Row, famosa rua londrina por suas alfaiatarias de qualidade reconhecida em todo o mundo. Começou então a estudar moda no Central St Martins College of Art & Design, em Londres.

Ao formar-se, em 1995, pesou o estigma de ser filha de quem é: em seu desfile de graduação, estavam na primeira fila da platéia Paul McCartney e Linda Eastman, e na passarela as modelos Naomi Campbell e Kate Moss. A apresentação foi notícia no mundo todo, porém seu talento era questionado nas entrelinhas. Mas a coleção foi comprada por uma loja, e no mesmo ano ela lançou sua própria marca.

Dois anos depois assumia um posto de indiscutível prestígio: tornava-se a substituta do estilista Karl Lagerfel na marca Chloé.

Houve quem acreditasse que sua contratação não passava de um belo golpe publicitário do Grupo Vendôme, dono da Chloé. Mas a primeira coleção que assinou para a marca finalmente dissipou todas as dúvidas: Stella foi saudada com elogios por toda a imprensa especializada, pelas suas roupas sensuais, românticas, muito inventivas e executadas com perfeição.

Na coleção seguinte, além de tudo isso, ela provou que podia gerar bons lucros para a Chloé.

Mais tarde a Gucci ofereceu uma proposta irrecusável: lançar a grife Stella McCarney no mundo todo, no segmento de moda de luxo, com a garantia de que todas as decisões seriam suas. A marca Chloé ficou sob a direção de sua principal colaboradora, Phoebe Philo, e ela começou sua carreiro solo.



Com um vestido desenhado por ela mesma, Stella McCartney casou-se no final de 2002 com Alasdhair Willis, editor da revista Wallpaper, com quem tem um filho.

Foi sua criação, também o vestido com que a cantora Madonna - a quem chama carinhosamente de Melly - casou-se com o diretor de cinema Guy Ritchie. Infelizmente, união que não se sustentou.

Vegetariana, ativista pelos direitos dos animais, Stella gravou sua trajetória pela seriedade com a qual encara seus valores pessoais. Não utiliza pele animal em suas criações, não envolve o sofrimento de animais em nenhuma etapa de produção de suas peças, recusou diversos contratos com grifes famosas justamente por não aceitar compactuar com o sofrimento de inocentes.

Recentemente, Stella McCartney foi acusada por ambientalistas, do grupo Animal Aid, de utilizar pele de canguru em botas da linha que assina para a Adidas. Muito bem. Sabemos que a Adidas é torturadora. Por que então, Stella McCartney, que já se recusou a contratar com empresas não éticas antes aceitou o contrato com a Adidas?

Por dinheiro? Duvido. Não é esse o ítem que mais lhe falta. Fama? Pouco provável. Ela tornou-se famosa no momento em que foi gerada! E não precisa fazer nada para manter isso. Sucesso? Mesmo sendo filha de quem é, o que incontestavelmente abre muitas portas, creio que já teve tempo de provar talento próprio – como o fez.

Assim, chego por eliminação a duas possibilidades: Primeira: Ela é humana. E erra como todos nós. Tem fraquezas como todos nós e está tentando melhorar, como todos nós. / Segunda: Ela é firme em seus valores e aceitou o contrato justamente para provar que é possível fazer sucesso na moda e mais – vestir-se – sem torturar e matar animais. Quanto à suspeita de uso de pele de canguru, certamente trata-se de um grande mal entendido.

Não sei ainda o que vocês pensam, meninas, mas eu acho muito mais provável, - ainda que seja evidente que na condição humana, ela também tem fraquezas como todos nós - que seja a segunda opção a mais correta. Sua trajetória me mostra isso. Sua conduta ao longo de tantos anos me fazem acreditar mais em seus valores do que em suas fraquezas.

“Stella McCartney, há anos vegetariana e defensora dos animais, não usa pele em nenhuma de suas coleções, o que inclui a linha que assina para a Adidas, que é 100% isenta de qualquer crueldade animal”, foi o que afirmou o comunicado enviado por sua assessoria de imprensa.

A estilista inglesa desenhou este ano duas camisetas para a marca Gap como parte do seu projeto “Meat Free Monday” ou “segunda-feira sem carne” que incentiva as pessoas a comerem menos carne. As peças são para a linha infantil “Gap Kids”. A campanha da estilista começou com ajuda de sua irmã Mary e seu pai, o músico Paul McCartney, ambos vegetarianos, e visa diminuir o impacto da produção e consumo de carne nas mudanças climáticas.

Seus projetos, sempre voltados para o fim da exploração animal de todas as formas patrocinam ONG’s de defesa animal e mitigam o sofrimento de inocentes. Se ela erra? É bem provável. Se gosto dela? Incontestável. Se ela me é um exemplo? Duvido que um dia deixe de ser!

Bom fim de semana...

5 comentários:

  1. Lúcida e direta como devem ser as pessoas verdadeiras! Parabéns e obrigada por trazer tanta dignidade à net!

    ResponderExcluir
  2. ótimo assunto... a gente, que ama esse mundo feminino, devemos ter dicernimento acima de tudo. seguir e dar exemplos.
    bjbj

    ResponderExcluir
  3. Não compro, não aprovo e repudiu quem compactua com isso.....
    Sou 100% defesa dos animais....
    Dá até nojo em pensar quantos bichos sofreram para "eu" andar com um casado...
    Afffffffffffffff
    Isso sim é ser um criminoso....
    Adorei
    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Coloquei esse blog entre os meus favoritos só pra ler os seus posts. E vale a pena cada vez que passo por aqui! Adoro encontrar pessoas que não precisam fazer média com ninguém! As que falam as coisas que tem que ser ditas, mas que todo mundo finge que não sabe. PARABÉNS pelo post! Eu já estou muito mais atenta aos produtos que uso e isso não afasta o meu guarda-roupa. Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. JULIANA: Muito obrigada pelos elogios, querida... Bjn...

    MARCELINHA: Sem dúvida! E nesse caso, especificamente, quando seguimos e damos exemplos bons, inocentes deixam de ser torturados! Bjn...

    JANA: Concordo com cada palavra do que vc disse! Parabéns pela conduta reta! O mundo precisa de mais gente como vc! Bjn...

    BIANCA: Muito obrigada pelo carinho, querida! Eu é que tenho que agradecer e sobretudo por vc ter ouvido e mudado posturas. Isso alegra profundamente o meu coração! Obrigada! bjn...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário e pela visita!

Se seu comentário for uma pergunta, pedimos que deixe um e-mail de contato, pois não conseguimos responder comentário anônimos!

Ju e Thata

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sem firulas © Layout criado por: Algodão Doce Design
imagem-logo