A Copa da África do Sul

De todas as minhas futilidades, acredito que o futebol, seja a maior delas. E mesmo que fale mais alto meu coração alvo e negro paulistano, acabo também por me contagiar com essa energia nacional a cada quatro anos.

De fato me irrita um pouco, tantos temas sendo ignorados pelas mídias para que sucessivas e repetitivas notícias acerca do campeonato mundial sejam exaustivamente divulgadas. Também me incomoda saber que muito mais lixo será produzido, muito mais CO2 será gerado, o que me faz pensar que nossos rituais, sejam eles quais forem, normamente carregam certa dose de estupidez. O que vão fazer com as milhares de vuvuzelas, bandeiras de plástico e todo o tipo de acessório desnecessário, assim que a Copa terminar??

Enfim...dilemas sustentáveis ficarão para um outro post. Hoje quero discutir aqui a importância da copa de 2010 na África do Sul...Porque o Mundo inteiro teve que párar e reparar nesse país tão distante, num continente tão esquecido pelo resto do mundo.

Localizada no extremo sul do continente africano, a África do Sul é um país extremamente multiétinico. Onze línguas oficias são faladas, sendo o inglês o mais predominante. A população é composta em sua maioria por negros (aproximadamente 70%). Ainda assim essa minoria branca , em épocas passadas, foi responsável por um dos regimes mais desumanos e cruéis de toda a nossa história: o apartheid.

O apartheid, que significa separação,  foi um regime que impôs a dominação da minoria branca sobre o restante da população: negros, indianos e mestiços. Esse termo foi reconhecido legalmente apenas em 1948, quando chegou ao poder o Novo Partido Nacional (NNP), mas desde o século XVII, quando o país foi colonizado por holandeses e ingleses, essa segregação já existia.

Os negros não podiam ocupar o mesmo transporte coletivo usado pelos brancos, não podiam residir no mesmo bairro e nem realizar o mesmo trabalho, entre outras restrições. Os brancos passaram a controlar cerca de 87% do território do país, o que sobrava se compunha de territórios independentes, mas paupérrimos, deixados aos grupos sociais não-brancos.

Algumas leis que eram aplicadas na época:

- Proibição de casamentos entre brancos e negros - 1949.
- Obrigação de declaração de registro de cor para todos sul-afriacanos (branco, negro ou mestiço) - 1950.
- Proibição de circulação de negros em determinadas áreas das cidades - 1950
- Determinação e criação dos bantustões (bairros só para negros) - 1951
- Proibição de negros no uso de determinadas instalações públicas (bebedouros, banheiros públicos) - 1953
- Criação de um sistema diferenciado de educação para as crianças dos bantustões - 1953

A Lei do Passe concedia a polícia o direito de prender quem fosse flagrado na rua sem a caderneta de identificação.

Em 1950 a oposição ao apartheid ficou mais intensa, quando o Congresso Nacional Africano (CNA), organização negra criada em 1912, lançou uma desobediência civil. Um boicote estimulou a população a deixar o passe em casa e caminhar até um posto policial para se entregar voluntariamente.

Cerca de vinte e mil pessoas se reuniram em frente a delegacia de Shaperville. Um grupo de policiais, sem saber como controlar a multidão, abriu fogo contra os manifestantes, matando 69 e ferindo mais de 180, incluindo mulheres e crianças.

O que era para ser, até então, uma manifestação pacífica, ficou conhecido como o Massacre de Sharpeville.


Em 1962, declarado líder da CNA, Nelson Mandela (principal ícone sul africano do apartheid) foi preso e condenado a prisão perpétua.

Apenas em 1989, quando tomou posse Frederick de Klerk é que começaram a ocorrer as mudanças que tornariam livres aqueles homens e mulheres. Em 1990 Nelson Mandela foi solto e a CNA se tornou legal.

Klerk e Mandela ganharam o Prêmio Nobel da Paz em 1993. Em abril de 1994, Nelson Mandela foi eleito presidente da África do Sul nas primeiras eleições multirraciais do país.


O Parlamento aprovou a Lei de Direitos Sobre a Terra, restituindo propriedades às famílias negras atingidas pela lei de 1913, que destinou 87% do território à minoria branca.

As eleições parlamentares de 1999 foram vencidas pelo candidato indicado por Nelson Mandela, Thabo Mbeki, descartando qualquer tentativa de retorno a uma política segregacionista no país.

Enquanto o resto do mundo colhia os frutos das revoluções feminina, sexual, saudava o capitalismo, a África do Sul vivia num regime arcaico e desumano e descobriu a liberdade há muito pouco tempo.

A Copa estar sendo sediada na África do Sul, deveria servir de ponto de partida para que descubramos mais sobre a história de países que não aprendemos na escola. Sobre as condições deploráveis em que vivem milhões de seres-humanos nesse planeta.

A Europa não tem mais o poder de impor sua autoridade branca para os povos africanos, mas através de suas multinacionais, extrai diamante e ouro do continente, acumula fortunas, faz crescer a econômia de seus países...as custas do trabalho dos africanos, que evidentemente, ficam com a menor parte dos lucros.

Hoje eles podem realmente morar aonde quiserem. Mas será que estão - que estamos -  livres, dos ditadores brancos que nos colonizaram? Acredito que não! Essa imposição européia e norte americana, trajada por multinacionais vão continuar a explorar recursos e mão de obra do países subdesenvolvidos e isso nos tornará reféns indefinidamente!

Liberdade...liberdade, abra as asas sobre nós...!

6 comentários:

  1. qual seria a sua proposta para acabar com as desigualdades sociais? Eu acho que investimento em educação é tudo, mas tanto na África do Sul como no Brasil sabemos que somente quem tem dinheiro consegue pagar bons estudos, aprender outras linguas, etc. O governo não investe e se investe metade do dinheiro (ou mais) é desviado... então fica neste impasse... eu concordo em muitos pontos com você, temos que aprender mais e olhar menos pro nosso umbigo, mas viver nesta selva de pedar onde um quer comer o outro para se dar melhor as vezes faz da gente mais egoísta do que gostaríamos... :(

    ResponderExcluir
  2. Mari... Como gosto dos teus posts! Não vou fazer um comentário mais extenso por aqui pq brevemente falarei sobre isso ao horizonte, mas de forma bem distinta. Pra começar, detesto futebol! E ainda somos amigas! Talvez seja a mais importante lição dada ao mundo por Mandela - na minha opinião - o maior ícone político do século XX. Quando teve a oportunidade de ser revanchista, mostrou-se um homem de extremo valor, agregador, amável, de visão pragmática e cosmopolita do que deve ser uma nação! Que pena que nossos líderes surgidos do povo sejam tão diferentes desse homem espetacular!

    Para mim, Mandela é o melhor exemplo de como se conduz um povo com e à dignidade! É um dos meus espelhos tb... Bjn...

    ResponderExcluir
  3. Oi Nena...eu adoro futebol,sou colorada e vou ao estádio, mas não me pilho em torcer pelo Brasil...é muito ATP gasto com a seleção enquanto os reais problemas brasileiros (que não é só a saída de bola lenta do Brasil) são jogados pra escanteio.Bj

    ResponderExcluir
  4. Mandela é prá mim,a maior prova de que se pode governar sem imposição,preservando a dignidade do ser humano.Mandela é prá mim a prova viva de que respeito não se ganha,se comquista,e ele conquistou o respeito do mundo todo!
    Quanto a parte da imposição america e europeia vou ter que discordar,por que prá mim,e isso vou falar apenas como parte da nação brasileira,qualquer um pode se impor,agora cabe a nós rechaçar ou não essa imposição.Se Mandela não deixou os americanos ou europeus se imporem contra ou entre eles,também nós brasileiros podemos fazer isso.pena que somos um povo pacato,e diria até preguiçosos,por que preferimos ficar de fora só gritando o que fazer mas realmente não temos muita coragem de fazer.Prá mim a maior prova da nossa calmaria é o caso Izabela Nardoni.pensa,se tivesse acontecido nos EUA,você acha que o povo já não tinha se revoltado de verdade e feito os culpados aparecerem de fato?Acha que a investigação teria sido essa baderna que foi?
    Sei lá,mas as vezes acho que meu avô tinha razão,cada país tem o líder que merece.E pensar que da primeira vez ajudei a eleger o Lula,arghhhhh...
    Moça,vou ser muito sincera(eu sempre sou,infelizmente),eu amo teu blog,os posts são sempre muito bem inscritos,complexos,e me fazem pensar.Parabéns!!
    Lá no meu não posso realmente falar o que penso,por que tenho"um orgão regulador",então talvez você não leia muita coisa desse tipo por lá.Por isso aproveito prá vir aqui e dizer o que penso.Obrigado!Obrigado!!
    Beijos coloridos!!

    ResponderExcluir
  5. Lilith - Adorei suas observações! Propostas eu tenho algumas, mas sinceramente não vejo como acertadamente poderiam ser aplicadas. O sistema é falho, porque falhamos nós, seres-humanos, a qualquer situação. No governo, com toda a corrupção e por se tratar de milhões, fica mais claro, passa na televisão, mas quantos são os indivíduos, que com seu jeitinho brasileiro dão sempre um jeito de tirar vantagem. E isso já é cultural! Acredito também que não ganham só políticos e mega empresários com a ignorância das massas, mas também cada um de nós. Afinal se todos estudassem e fossem bem sucedidos quem seriam os zés e as marias que limpariam a nossa sujeira...quem seriam os lixeiro, catadores, garimpeiros e atendentes que se sujeitariam a tanto trabalho e tão baixos salários? Na minha cabecinha turva, todo o ser-humano que acorda todos os dias e passa 8 horas (ou mais) que isso trabalhando honestamente deveria ser bem remunerado, afinal contribui para o funcionamento da sociedade tanto quanto qualquer empresário e possivelmente muito mais que qualquer político vadio. Acho que nem todos tem a vocação e o interesse por aprender e estudar, portanto graduados, pós-graduados ou não, todo o indivíduo deveria ganhar o suficiente para ter uma vida decente. Mas talvez essa seja mais uma visão utópica da minha pessoa. Só discordo de vc num ponto. Conheço várias pessoas que chegaram a passar fome na infância e adolescência e ainda assim, com muito trabalho e suor, estudaram e hoje tem carro e casa própria. Quem quer vai longe! Mas como cada vida é uma e cada história tem seus acontecimentos, a mim só cabe esperar pelo dia em que qualquer trabalho bem feito, seja valorosamente recompensado.

    ResponderExcluir
  6. JAFA - Sempre uma honra para mim receber seus elogios. Tenho a mesma opinião sobre o Mandela e vou ficar aguardando seu post no Horizonte.

    Sabrina - Exatamente! Tanta verba jogada fora e tantos problemas sem solução. Sem contar com o fato dessas corjas parlamentares marcarem votações sérias e importantes bem nos dias de jogos da seleção. Que estratégia baixa, mesmo sabendo que os culpados somos nós...sempre afim de nos alienar por alguns copos de cerveja...

    KahSilva - seu comentário me deixou muito contente...porque mesmo quando você acha que discorda de mim é que realmente concordamos. Sou sempre a favor das revoluções humanas, do povo gritar NÂO bem alto e cobrar soluções e mudanças. E é por isso que insisto em escrever, sendo normalmente chata, mas para buscar que outras pessoas venham reagir também...O problema dos africanos, das mulheres do oriente é que tudo lhes foi negado. E neste oceano de submissão e esquecimento é difícil até sobreviver...que dirá se rebelar!Agradeço imensamente seus elogios...me animam sempre a escrever mais, só quero ressaltar uma coisa: o blog é da Thata. Eu, a Lu, a Jana e a Pamela apenas damos nossos pitacos semanais por aqui. beijos coloridos pra vc tb!

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário e pela visita!

Se seu comentário for uma pergunta, pedimos que deixe um e-mail de contato, pois não conseguimos responder comentário anônimos!

Ju e Thata

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sem firulas © Layout criado por: Algodão Doce Design
imagem-logo