Consciência sem firulas (por Jana)

Fiquei muito contente quando a Jana se ofereceu para falar sobre assuntos relacionados a sustentabilidade e produtos cruelty-free. O primeiro post faz uma introdução sobre o assunto e promete que muito mais virá nas próximas semanas.

Por Janaina Forteza, do blog Horizonte Jafa:

Quando li o post da Thata falando sobre colaboradoras pro Sem Firulas pensei logo de cara: “Opa... Olha a chance de falar mais sobre o que há por traz da gracinha do shampoo Johnsons. Logo em seguida ela mencionou que não gostaria de vincular assundos “pesados” – murchei. Se existe um adjetivo que não se pode dar às práticas horrendas de considerável parte da indústria cosmética é “leve”.

De qualquer forma, estejamos dispostos ou não a mudar alguns hábitos ou olhar velhas marcas com ressalvas e outras novas com simpatia, fato é que o mundo todo caminha, ainda que a lentos passos, para maior conscientização. Ainda nos é permitido não sermos éticos, mas já não mais há complacência com a ignorância.

Se decidimos continuar com práticas predatórias ou alimentando a crueldade contra animais, em muitos casos, a lei e a própria sociedade ainda se calam, mas já não admitem mais aquela velha frase: “mas como testam em animais? eles lavam o cabelo do bicho com o shampoo?” Não. Os olhares diante desses comentários não são os melhores e também acredito que não haja interesse real em promover educação de coisa alguma que envolva interesses financeiros.

Ademais, é cristalino aos meus olhos que muitas das pessoas que hoje se utilizam de marcas predatórias, se realmente soubessem da conduta de tais fabricantes, certamente deixariam de usar seus produtos e conheceriam outros novos fabricados por quem pauta pela ética e pelo sentimento de humanidade.

Realmente outras não se importariam e continuariam usando os mesmos produtos, afinal, não são elas as torturadoras, mas a industria, correto? Ainda assim, já não mais haveria o benefício da dúvida e a ignorância sobre os fatos estaria dizimada. Restaria pois apenas o arbítrio.

Assim, e no intuito de fazer com que cada vez mais pessoas entendam a extensão de seus atos e que pequenas atitudes provocam enormes mudanças que refletem primeiro em suas vidas; depois, em seu meio e finalmente em toda a sociedade, é que falei com a Thata e me coloquei a disposição para ajudar no blog com um post por semana a respeito de sustentabilidade e crueldade com animais praticados “dentro dos parâmetros legais”.

A Thata concordou de primeira mão e a porta se abriu. Dessa forma, estarei por aqui uma vez por semana tratando do assunto, trazendo e buscando novas informações, pois já muito aprendi sobre o tema em comentários, tanto no Horizonte (meu blog) quanto fora dele em páginas incríveis de pessoas que disseminam o seu conhecimento em absoluta generosidade.

Como este é um post de apresentação, não creio seja viável me estender demais e nem já adentrar a algum dos temas que teremos muito tempo para tratar, mas coloco-me, antes de tudo, a inteira disposição de vocês para qualquer informação sobre os assuntos que vou falar sem firulas por aqui. Se eu souber, respondo logo. Se não souber, vou pesquisar e trago os resultados.

Acredito que só trocando informações, estando abertos a costumes de outros e nos vendo como seres falhos que não são donos da verdade e nem melhores uns que os outros é que poderemos, antes de tudo, nos comunicar e em conseqüência, contribuirmos para uma sociedade menos injusta, menos cruel e menos apática diante da dor dos mais fracos.

Na semana que vem falarei sobre os diferentes tipos de testes realizados em animais e as alternativas para banir essa prática. Será um prazer me reunir com vocês. Grande abraço...


15 comentários:

  1. Que legal Jana!! Um assunto tão séerio que a gente as vezes nem para pra pensar, né? Eu tento ao máximo comprar produtos da The body Dhop (uma marca inglesa que não faz testes em animais) ou procurar outras que tb façam essa ação em relação aos animais!!
    Estou ansiosa pra te acompanhar nesse assunto...
    Bjs e obrigada por compartilhar algo tão importante com a gente!!!

    ResponderExcluir
  2. Ops, sou suspeita para falar da Jana! Uma pessoa incrível que conheci através do meu blog e que se tornou uma pessoa especial!.
    Bom ver ela por aqui Thata, tenho certeza que será uma parceria cheia de conteúdo e de muita importância.

    Jana, não briga comigo... mas o Antonio já usou muito J&J, troquei aos poucos!

    Um beijo a vocês e sucesso!
    Faby

    ResponderExcluir
  3. Como sou técnica em Meio Ambiente, tenho que dizer que adorei!!!

    Bom fds!!!
    Bjim!

    Florzinha
    http://pimentarosakmj.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. LULITAS: A The Body Shop é sensacional mesmo. Vc sabia que além de não testarem em animais e não se utilizarem de insumos de origem animal eles compram créditos de carbono para compensar a sua produção? Não é pra qq um, né? bjn...

    FABY: Nada do que tenhamos feito pode fazer frente ao que temos potencial pra fazer a partir de agora! Vc tem posturas extremamente sustentáveis! Bjn...

    ResponderExcluir
  5. ~Esse comentário não se refere ao post de agora, ok?
    É que eu morri de rir com as respostas das perguntas sobre a gravidez. Eu, jovem, que tenho três lindas filhas, sei exatamente o que vc está passando, kkkkk
    Mas olha, passa, tá? Demora, mas passa, rs. Depois, vem a fase II, que é mais complicada. TODOS, repito TODOS querem te ajudar a amamentar, chupetar, banhar, kkk, Verdade, mesmo.
    Ah, pior que isso foi participar de uma conversa:
    mãe 1: vai ser cesárea?
    mãe 2: nó, cesárea é horrível !
    mãe 1: eu detestei cesárea, gostei mesmo de parto normal.
    mãe 78: e eu, detestei o parto normal.
    Eu: como eu faço? se forçar vômito, minhas filhas nascerão pela boca? ISso, claro, morrendo de raiva, rsrsrs
    Smac!

    ResponderExcluir
  6. Ainda bem que as empresas brasileiras estão se ligando neste assunto tb. Gostaria de compartilhar esse post, pq aborda uma temática semelhante:http://broguedadoida.blogspot.com/2010/02/beleza-sustentavel.html

    ResponderExcluir
  7. AI QUE DOIDA: Oi querida. Excelente o teu post. Apenas pra complementar, tanto a Eh quanto a Weleda são 100% cruelty free. Já o mesmo não se pode dizer da Natura que tem o projeto de parar com os testes em animais mas ao que tudo indica ainda não o fez. Tem reduzido muito tal prática desde o ano de 2004 mas ainda não abre seus laboratórios para as comissões de veganos que desejam visitá-los. Uma pena! bjn...

    ResponderExcluir
  8. Ah, esqueci... Já a francesa L'Occitane tem como única falha a utilização do mel em algumas de suas linhas. bjn...

    ResponderExcluir
  9. Oi linda! estou passando para avisar que esta rolando um sorteio muito legal lá no blog!

    http://carinepetty.blogspot.com/2010/02/primeiro-sorteio-do-blog-jabars.html

    ResponderExcluir
  10. Adorei teu blog, bem diverso ;)

    To seguindo, se gostar do meu blog, segue tbm ;)
    http://roserockabilly.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pela colaboração da Jana, que com certeza tem muito a acrescentar a todas nós!
    Beijo, Jana.

    ResponderExcluir
  12. Ahhh... que bom finalmente ver esse assunto abordado assim, em peso, num blog de beleza.

    Minha vida é basicamente uma grande busca por produtos cruelty-free. Quando tô na perfumaria e não lembro qual testa e qual não, vou de Nivea, não tem erro.

    Vi um comentário ali em cima de que a Natura ainda testa em animais. Vc poderia esclarecer se isso é verdade mesmo? Se for, vai ser uma frustração imensa... quero nem pensar.

    Parabéns à Thata por incluir esse tema no blog. Só mostra mais ainda o quanto vc tá antenada!

    ResponderExcluir
  13. só que a body shop pertence a loreal, que testa em animais.

    ResponderExcluir
  14. JULIANA: Querida, perdoe-me, mas não tinha visto o teu comentário antes, por isso não respondi! É verdade. A The body shop pertence ao grupo L'Oreal, que, diga-se de passagem, está cada dia maior, comprando empresas melhores que tenham tecnologias diferentes. Coisas de mercado globalizado. Assim foi com a Wella, tb comprada pela L´Oreal e que nunca testou em animais. Ocorre que a estrutura administrativa da The Body Shop não mudou com a incorporação ao grupo e a sua forma de produçnao continuou a mesma. Então, podemos dizer que a The Body Shop ainda é uma linha cruelty free. Tomara que a L'Oreal, que investe em alternativas aos testes em animais mas efetivamente ainda não comprova não mais praticar tal conduta não se meta na estrutura da The Body Shop. Bjn...

    ResponderExcluir

Obrigada pelo seu comentário e pela visita!

Se seu comentário for uma pergunta, pedimos que deixe um e-mail de contato, pois não conseguimos responder comentário anônimos!

Ju e Thata

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Sem firulas © Layout criado por: Algodão Doce Design
imagem-logo